sábado, 20 de fevereiro de 2016

Repovoar os espaços perdidos (a propósito duma fotografia de Ana Maria Pinto)





Ana Maria Pinto, Porto, 2015




Repovoar os espaços perdidos (a propósito duma fotografia de Ana Maria Pinto)


 Repovoar, através do olhar, os espaços perdidos é um acto de afecto e um apelo a uma viagem imaginária através das fissuras do tempo. Na quase obscuridade da sala, emergem, por entre os actuais destroços, antigos sussurros e  gestos dos seus habitantes:  débeis sulcos de pés de crianças em volteios lúdicos; passadas lentas e pesadas de velhos enclausurados nas suas memórias; uma rapariga à janela na expectativa de um aceno do amante clandestino; a irmã mais velha a tricotar com disfarçado enfado; a porta, agora de um azul esmaecido, a abrir-se à chegada de um visitante inesperado; rituais festivos ao ritmo do tempo; amores nascentes e jazentes; juras e traições; nascimentos e mortes.
 Todo um cenário onde perpassa a tensão entre o efémero e o eterno, como é próprio duma poética das ruínas. A luz triangular simula essa fronteira entre o visível e o invisível, entre o real e o virtual. O bolor do tempo (manchas e detritos) corrói a madeira do tecto, o soalho ou as paredes, mas coexiste com as formas perenes, porque a câmara as fixa para sempre.  E o tom róseo-cinza dominante, como convém, remete para o crepuscular, pois a imagem fotográfica tem a capacidade de nos situar na fronteira entre as trevas e a luz. Entre o interior em decomposição e a luz exterior filtrada pelas janelas rectangulares estabelece-se um singular pacto de silêncio sacral. O sublime desta imagem está na arte de o saber ritualizar.






Ana Maria Pinto, Porto, 2015

1 comentário:

  1. Klik Agen Togel Terpercaya yang tingkat kerugiannya sangat kecil di sini. Bahkan ketika kalian kalah sekalipun, Coloktoto akan tetap memberikan kalian cashback sehingga kalian tidak akan merugi besar. Paling cocok untuk sobat bettor yang mencari situs game online yang tingkat resiko ruginya sangat kecil.

    ResponderEliminar